Além dos prêmios e lançamentos, também conquistou muitas medalhas internacionais com whisky e gin

FOTOS GUSTAVO ANDRADE

Mais uma grande conquista! A Backer acaba de receber a distinção como Melhor Cervejaria das Américas, revelada na Copa Cervezas de America, um dos mais importantes concursos do calendário internacional, e levou também as medalhas de ouro com sua Buick 49 (Experimental Beer), Tommy Gun (Double IPA), Diabolique (Other IPA); prata com a Capixaba (American Ligth Lager) e a Corleone (Red & Rye IPA) e ainda o bronze com a Reserva do Proprietário (American Wild). A lista completa dos vencedores pode ser conferida no site: https://revistabeerart.com/news/copa-cerveza-de-america-2019

As comemorações de 2019 começaram em março, durante o Concurso Brasileiro de Cervejas em Blumenau. A cervejaria sempre fatura relevantes medalhas, mas esta edição foi especial. Além de ganhar seis medalhas com suas cervejas, a Backer foi consagrada como a melhor cervejaria do Brasil na categoria grande porte. Desde 1998, a marca vem traçando sua trajetória no mercado nacional sempre na vanguarda com ousadia, excelência e muito, mas muito trabalho e dedicação. A marca levou 13 novas cervejas sazonais para Santa Catarina em 2019.

Já no segundo semestre, a cerveja Bernardyńskie da Backer foi eleita a melhor do mundo em sua categoria no World Beer Awards, um dos mais relevantes concursos cervejeiros do mundo. Este tipo especial de cerveja, já extinta no mundo, foi recriada, no ano passado, na capital mineira em roupagem especial: a edição comemorativa pelos 25 anos do Verdemar, rede mineira de supermercados e padarias. A Bernardyńskie é uma inspiração de uma receita Prussiana do século XIX. Leva malte de trigo defumado em carvalho, centeio e diferentes tipos de maltes de cevada e é fabricada com lúpulos poloneses selecionados especialmente para esta receita. Uma ale leve, complexa e equilibrada com sutis notas defumadas, intensa acidez leve e um aroma final de frutas vermelhas advindas dos lúpulos utilizados. Possui 4,9% de teor alcoólico e 18 IBU.

Além da premiação com a Bernardyńskie, a Backer venceu a categoria de Melhor Barley Wine Brasileira com a Cabral e Melhor Belgian Style Ale Brasileira com a Medieval. A cervejaria também conquistou a medalha de prata para a Bravo (Wood Aged), medalha de prata para Reserva Smoked (Strong), medalha de prata para Reserva Wood Sour (Belgian Style Ale) e a medalha de bronze para Julieta (Fruit & Vegetable).

“Acreditamos na Backer! Hoje, somos a maior microcervejaria independente do Brasil. Fomos eleitos a melhor do mundo pelo World Beer Awards, em Londres, a melhor do Brasil em Blumenau e agora a melhor da América. Fizemos um bom trabalho e temos a melhor equipe porque somos uma família! Nestes 20 anos de cervejaria, recebemos estas premiações como reconhecimento e força para trabalharmos mais 200! A Backer faz história e já é uma marca mineira conceituada que leva para o mundo – assim como nossa tradicional culinária – o jeito mineiro de fazer com carinho e alma”, comemora Paula Lebbos, diretora de marketing da Backer.

Mas nem só de cervejas vive a cervejaria Backer e seus destilados também fizeram bonito em 2019. Só o whisky já conquistou cinco medalhas internacionais. Recebeu o ouro no The Spirits Business World Whisky Masters – Londres/Reino Unido e no SIP Awards – Califórnia/Estados Unidos; a prata IWSC International Wine and Spirits Competition – Londres/Reino Unido e o bronze noLondon’s Spirit Competition – Londres/Reino Unido.

A Backer lançou o Whisky 3 Lobos, seu primeiro single malte, em setembro de 2018. O whisky da Backer é uma bebida bastante frutada, leve e fresca, com notas aromáticas de pêra e mel.

Sobre a Backer:

Criada em setembro de 1998, a receita do chope Backer, “made in Minas”, conquistou os clientes da antiga e renomada casa de shows de Belo Horizonte, a Três Lobos. O grande sucesso fez com que os empresários Halim e Paula Lebbos e Munir Khalil investissem em um espaço, no qual iniciaria a produção da primeira cerveja artesanal de Minas Gerais, em outubro de 2005.

No final de 2014, a Backer abriu as portas do Pátio Cervejeiro, complexo que engloba o restaurante Tempo Cervejeiro e a Maternidade Cervejeira, onde são produzidas as cervejas. O local é um capítulo à parte, tendo se tornado um importante ponto turístico de BH, por tudo que representa para a cidade e o estado. O Pátio abriu as portas também para os cursos cervejeiros, que têm sido muito procurados pelos interessados em conhecer mais sobre as cervejas.

“Em 2018, fizemos vários investimentos em planta física, equipamentos e contratações, com intuito de dobrar a nossa produção. Ouvimos de muitas pessoas: – vocês estão loucos? Como investir e contratar com o Brasil passando por recessão econômica e política? Mas acreditamos, lançamos novos rótulos de cervejas, o primeiro whiskey single malte artesanal cervejeiro, e o Hop Gin, ambos já premiados internacionalmente. Passamos sim dificuldades com a retração do mercado, aumento do dólar, crise na indústria do vidro e aumento do nosso principal insumo, o malte, no começo de 2019, mas já estamos vendo melhora e aquecimento em nosso setor”, defende Paula Lebbos, diretora de marketing da Backer.